terça-feira, 31 de janeiro de 2012

DEMOCRACIA - MALFADA Quino



História da MAFALDA

"A personagem, cujo nome foi inspirado pela novela Dar la cara, de David Viñas, e alguns outros, foi criada em 1962 para um cartoon de propaganda que deveria ser publicado no diário Clarín. No entanto, Clarín rompeu o contrato e a campanha foi cancelada.
Mafalda somente se tornou um cartoon de verdade sob a sugestão de Julián Delgado, na época o editor-chefe do hebdomadário Primera Plana e amigo de Quino. Foi publicado no jornal de 29 de Setembro de 1964, apresentando somente as personagens de Mafalda e seus pais, e acrescentando Filipe em Janeiro de 1965. Uma disputa legal surgiu em Março de 1965, e assim a publicação acabou em 9 de Março de 1965.
Uma semana mais tarde, dia 15 de Março de 1965, Mafalda começou a aparecer diariamente no Mundo de Buenos Aires, permitindo ao autor cobrir eventos correntes mais detalhadamente. As personagens Manolito e Susanita foram criadas nas semanas seguintes, e a mamãe de Mafalda estava grávida quando o jornal faliu em 22 de Dezembro de 1967.
A publicação recomeçou seis meses mais tarde, em 2 de Junho de 1968, no hebdomadário Siete Días Illustrados. Como os quadrinhos tinham que ser entregues duas semanas antes da publicação, Quino era incapaz de comentar as notícias mais recentes. Ele decidiu acabar com a publicação das histórias em 25 de Junho de 1973.
Desde então, Quino ainda desenhou Mafalda algumas poucas vezes, principalmente para promover campanhas sobre os Direitos Humanos. Por exemplo, em 1976 ele fez um pôster para a UNICEF ilustrando a Declaração Universal dos Direitos da Criança.
Na Cidade de Buenos Aires existe uma praça chamada Mafalda. " WIKIPIDIA

Joaquín Salvador Lavado (17 de julho de 1932 (os registros constam como tendo nascido em agosto), em província de MendozaArgentina), mais conhecido como Quino, é um humorista gráfico e criador de história em quadrinhos argentino.

[editar]Biografia

Filho de imigrantes espanhóis, nasceu em 1932 na Argentina. Desde cedo é chamado pelos familiares pelo apelido com que é conhecido - Quino - para diferenciá-lo do tio homônimo,desenhista, com quem já aos 3 anos de idade aprende o gosto pela arte.
Em 1945 perde a mãe e em 1948 o pai. No ano seguinte abandona a Faculdade de Belas Artes.
Por vários anos tenta vender seus trabalhos nos jornais de Buenos Aires, sem sucesso. Finalmente em 1954 vê publicado seu primeiro desenho - mas a contribuição regular para os jornais deu-se somente 3 anos depois. Esporadicamente realiza campanhas publicitárias.
Casou-se em 1960, em 1963 lança seu primeiro livro humorístico: "Mundo Quino" e, em 1964, nasce sua primeira personagem, Mafalda.
Em 1970 sua Mafalda é publicada na Espanha e em Portugal, Quino começa a deixar as fronteiras da Argentina, mas não alcança sucesso na Alemanha e em França, onde Mafalda foi publicada em 1973. No mesmo ano, Mafalda chegaria ao Brasil em plena Ditadura militar, através da revista Patota da Editora Artenova.
Em 1976 Quino muda-se para Milão, aos poucos seus trabalhos vão tendo o reconhecimento e divulgação, hoje espalhados em todo o planeta. Na Argentina, "Mafalda" virou nome de uma praça, e diversas homenagens são prestadas ao criador e à criatura." WIKIPIDIA