quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

NOVOS PROJETOS - 2012

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

AGUARDEM 2012 - NOVOS PROJETOS

Olá Pessoal leitor do blog.

Esse ano passamos por algumas mudanças e vamos retomar nossos trabalhos com força e vigor ano que vem. Lançaremos alguns projetos de pesquisas e para isso foi preciso um tempo de pausa no nosso trabalho para reconstruir os desejos e observar as oportunidades que nos apresentam.

Peço desculpas aos leitores e em JANEIRO 2012 vamos relançar o Blog com novidades!

Aguardem!

Abraços a Todos

Gustavo Ferrara
Fundador do Blog Os Novos Pensadores

terça-feira, 5 de julho de 2011

Conexões Urbanas - Empreendedores (Parte 3 de 3)



A última parte da entrevista com Andre Skaf ! Muito bacana!

OBS: Está errado no YOUTUBE, essa é a terceira parte da entrevista

segunda-feira, 4 de julho de 2011

ECONOMIA INTERNACIONAL - Tragédia Grega: A Crise na Grécia




O futuro da Grécia está se desdobrando em Atenas e outras cidades gregas que resistem às exigências financeiras impostas pelo FMI, BC Europeu e UE.


Banqueiros exigem a privatização de bens públicos e redução dos gastos públicos. Esse dinheiro poupado servirá como um fluxo a mais nos caixas dos bancos. O medo da possibilidade de um calote assombra os países da zona do Euro e diversas instituições financeiras.


O plano de austeridade fiscal proposto, que pode garantir a solvência dos empréstimos gregos, com certeza terá um grande custo social, que não está sendo mensurado pelo BCE e bancos credores. Não são mensurados, pois, para eles, são variáveis indiferentes, que nem se levam em consideração.

Mais uma vez as pessoas são colocadas em segundo plano para garantir aos bancos a realização do lucro, o que pode acarretar em uma grande “tragédia grega” do ponto de vista social. Uma nova proposta deveria ser avaliada, algo que não comprometa o futuro da população grega e que ao mesmo tempo não faça parecer melhor à Grécia abrir mão da participação na União Européia e optar pelo calote. Um calote por parte do governo grego poderia tornar ainda mais difícil o auxilio de paises como Portugal, Irlanda e Espanha e arranharia a imagem da União Européia como algo vitalício.


É importante lembrar que grande parte dos empréstimos contraídos pelo Estado grego foi para que Atenas atende-se as regras sobre déficits da Europa e pudesse adentrar na União Européia. A meu ver um país que não tinha capacidade de fazer parte da UE foi aceito por falta de uma análise mais detalhada e pensamento a longo prazo. E no meio dessa crise a Croácia está para ser aprovada na União Européia, me pergunto será que é o momento certo para permitir a adesão de mais paises?

Se o calote se concretizar, ocorreriam conseqüências potencialmente catastróficas para credores, não apenas dos 240 bilhões de euros da dívida soberana grega, mas também para credores de centenas de bilhões de euros da dívida comercial grega e de outras dezenas de bilhões de euros de contratos de derivativos relacionados à dívida grega.

Um ponto também de grande importância é o fato de banqueiros terem capacitado a Grécia e outros países a tomarem emprestado além de seus meios em negócios perfeitamente legais, como sempre, os bancos, pensaram no lucro desenfreado e nunca nas possíveis conseqüências. Não pensam nas conseqüências, pois sabem que serão socorridos, como temos de exemplo a última crise de hipotécas subprime. Sabemos que os bancos geralmente não perdem as suas apostas em jogos de derivativos que tenham empreendido (mesmo quando especulam em cima de papéis podres), a Grécia será forçada ao máximo a seguir o plano de austeridade fiscal proposto. Os cidadãos gregos que se preparem.

Frederico Matias Bacic
POST escrito para o Blog Economidiando nosso parceiro: 04.07.2011



Conexões Urbanas - Empreendedores (Parte 2 de 3)



Só para continuar a serie da entrevista sobre empreendedores! Muito bacana!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Novos Lideres - Entrevista Andre Skaf e Romulo Costa - parte 1/3

Empreendedor é o cara que faz acontecer. É o cara que inventa uma coisa do zero e põe a roda pra girar.
Neste programa da série Conexões Urbanas, José Junior entrevista Rômulo Costa e André Skaf, dois empreendedores de universos opostos, mas com uma idéia em comum: Inclusão Social.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Divulgando no Twitter nos melhores horários!

Se sua empresa utiliza Twitter como ferramenta de divulgação, é importante saber os horários nos quais seus seguidores estão mais atentos.

Felizmente, uma pesquisa bem feita não significa, necessariamente, trabalho braçal. Uma ferramenta prática e eficiente é o Tweriod, que monitora não apenas seus posts, mas também os de seus seguidores e gera um relatório das horas de atividade em sua rede de contatos.

Desta forma, é possível planejar suas divulgações e enviar suas mensagens nos horários mais adequados, com base na atividade de seu público alvo.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

A taxa de juros e suas conseqüências econômicas


O Mercado financeiro prevê que a taxa Selic irá sair dos atuais 11,75% para 12,5%. Um aumento de 0,75%. Com essa alteração o país se mantém na posição, entre os países com economia de peso, da maior taxa de juros.

A justificativa dada, pelo Banco Central, para este aumento é o controle da inflação, já que o crédito é encarecido, a base monetária é encolhida, segurando, desta forma, a demanda e por fim o aumento dos preços. Mas o que isso acarreta para nossa economia

A taxa de juros apresenta mais conseqüências para a economia, além do controle da inflação. De acordo com John Keynes, a decisão de investimento produtivo dos empresários capitalistas está ligada à taxa de juros, somado às incertezas sobre o futuro por parte dos empresários (“Animal Spirits”). Em poucas palavras, um aumento da taxa de juros torna o crédito mais caro, inibindo desta maneira não apenas o consumo mais o investimento produtivo, o crescimento da Formação Bruta de Capital Fixo, da capacidade ociosa na economia (está que é essencial para que a oferta se mantenha sempre à frente da demanda, impedindo o surgimento de surtos inflacionários) e por conseqüência o crescimento da renda do emprego.

Neste cenário o investimento financeiro, compra de títulos é estimulado, pois é um investimento que envolve menos riscos, incertezas, para o capitalista do que o investimento produtivo. Quando os juros se elevam, a taxa de retorno de um título se torna mais próxima ao retorno de um investimento produtivo, isso somado as incertezas do investimento produtivo faz com que ocorra uma queda no nível de investimento produtivo (por exemplo, a ampliação de uma planta fabril), isso ocasiona queda da atividade econômica, do crescimento da renda e emprego. Em contrapartida um taxa de juros baixo estimula o empresariado a realizar o investimento produtivo, que geram renda e emprego.

No caso brasileiro, zero setenta e cinco a mais na taxa de juros impacta diretamente o custo de financiamento da divida pública. Cada 0,75 ponto percentual a mais em uma dívida de R$ 1,2 trilhão, representa um custo anual de R$ 9 bilhões de pagamento de juros anual. Isso levando em conta que mais da metade da divida é formada de títulos pós-fixados, sendo diretamente influenciados pelos juros da Selic, e outro tanto é pré-fixada, mas acaba incorporando o aumento em cada renovação no vencimento dos títulos.

Outro impacto desfavorável é sobre a taxa de câmbio. Isso porque o aumento da diferença entre o juro doméstico e o juro internacional aumenta o espaço para operações de arbitragem cambial, o que vai ampliar a já grave valorização do real, com todos os impactos deletérios para a Balança Comercial.

Outro estrago de um juro mais elevado é sobre as decisões de compra e de investimentos. Sem necessidade provoca-se uma reversão das expectativas positivas, fazendo com que consumidores adiem decisões de consumo e empresários posterguem decisões de investimentos, como foi abordado no início deste trabalho.

Ou seja, se o argumento do aumento da taxa de juros foi mesmo do risco da inflação, então a decisão tomada tende a provocar o efeito exatamente contrário no longo prazo. Isso porque desestimula investimentos, que seria a verdadeira arma para garantir que a oferta corra à frente da demanda e, portanto, evite pressões inflacionárias futuras.

A elevação dos juros além do desestimulo ao investimento produtivo também acarreta em problemas para os gastos sociais, muitos recursos públicos tem de ser utilizados para o pagamento de juros, podemos notar que o pagamento de juros no Brasil teve um aumento de 400% em 11 anos, enquanto os gastos com educação e saúde se mantiveram praticamente estáticos. O juro elevado faz com que as políticas fiscais e sociais do governo fiquem subordinadas à política monetária, o pagamento dos juros se torna a prioridade, já que o descumprimento deste poderia acarretar em grave desconfiança, gerando fugas de capital, colocando em risco a estabilidade econômica.

A política monetária, via ajuste dos juros para o controle da inflação, representa um grande entrava para o investimento produtivo e os gastos sociais. Subordina todas as outras políticas econômicas à política monetária. Agravando os problemas sociais já existentes, impedindo o investimento produtivo, não apenas a demanda, a criação de renda e emprego.

A política de aumento dos juros é extremamente eficaz e rápida para o controle da inflação, todavia pune todos os setores da sociedade, tanto os setores que estavam gerando inflação, quando os que não estavam.

“Uma política de elevação da taxa de juros, como proposta pela regra convencional de disciplina da política monetária, não possui um mecanismo de diferenciação entre as firmas e trabalhadores que estão gerando inflação e aqueles que estão tendo um comportamento compatível com a estabilidade de preços. Muitas firmas inocentes (isto é, aquelas que não realizaram aumento de preços) não resistem aos elevados custos financeiros e a fraca demanda e entram em processo de falência, demitindo muitos trabalhadores, que ficam involuntariamente desempregados. A política de elevação dos juros utiliza-se da tática de provocar um resfriamento geral da economia, (...). A política antiinflacionária de elevação do juros derruba a inflação. Entretanto, condena a economia a um estado de semi-resfriamento permanente com altas taxas de desprego e baixas taxas de investimento (em média).”

Uma alternativa a essa política seria identificar os setores que são responsáveis pela inflação e agir com políticas focalizadas especificas para estes setores. Primeira identifica-se a causa da inflação e depois se realiza uma política especifica para combater essa causa ( Exemplo de causas inflacionárias: alta carga tributária em determinado setor, que poderia ser reduzida; falta de algum insumo, que poderia ser combatido com o barateamento da importação desse recurso; economia extremamente oligopolizada dando as empresas poder se decisão de preços; elevação salarial devido a reivindicações de trabalhadores, que acarretaram em um aumento de custos; entre outros). O modelo utilizado pelo Banco Central brasileiro de combate à inflação via exclusivamente ao aumento do juros acata somente sintomas da inflação ( a elevação dos preços) e não as suas verdadeira causas que foram citadas a pouco). Com políticas especificas para o combate inflacionário a economia e sociedade não seriam afetadas com um todo com um todo. Sem descriminação.

Bibliografia:
Sicsú, João. Políticas Não-Monetárias de Controle da Inflação: uma proposta pós-keynesiana. Revista Análise Econômica, ano 21, nº. 39.

Fredercio Matias Bacic - BLOG ECONOMIDIANDO - http://economidiando.blogspot.com/2011/03/taxa-de-juros-e-suas-consequencias.html

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Pesquisa de mercado na tomada de decisões


Uma fase importante para abertura ou a expansão do negócio é a PESQUISA DE MERCADO. O empreendedor deve buscar essa ferramenta para suprir a duvidas e a falta de conhecimento do mercado que irá atuar. A pesquisa de mercado é uma ferramenta que auxilia o desenvolvimento de estratégias para valorizar a marca. Conhecer melhor seu consumidor, identificar a estrutura de concorrência, dessa forma, obter informações que orientem tanto o plano de marketing quanto a tomada de decisão mais cotidiana.

Um dos principais institutos de pesquisa do Brasil é o IBOPE, que foi fundado em 1942. A busca de informação centralizada é o principal produto do instituto (IBOPE Solution), criado em 2001. O produto fornece insight e informações sobre clientes, auxiliando na formação de planos estratégicos para negócios e ainda mostrando o posicionamento do público frente ao mercado. Analisa posicionamento de marcas, necessidades dos consumidores, tamanho do mercado que quer conhecer, além de tendências socioculturais relevantes. As pesquisas desenvolvidas pelo IBOPE podem ser ocasionais, contínuas, periódicas ou ainda sobre a forma de painéis. As pesquisas sob encomenda busca atender necessidades específicas de cada cliente.

A pesquisa de mercado é a principal ferramenta para obter informações sobre um determinado público-alvo. Analisando através de teste de novas hipóteses, conceitos e produtos, a pesquisa de mercado auxilia na identificação de problemas e oportunidades e que ajudam a determinar as características dos consumidores e do mercado.

A pesquisa pode fornecer diversas informações interessantes, como por exemplo:

• Valoração da Marca (“Brand Equity”)
• Tendências de opinião e de mercado
• Satisfação de Clientes (Customer Satisfaction)
• Vantagem Competitiva e Posicionamento
• Comportamento
• Hábitos e Atitudes
• Pesquisa de Preço (Pricing) e Elasticidade
• Pré e Pós testes de Comunicação
• Pesquisa de Mídia
• Geração de Conceito de Produto/ Teste de Conceito
• Teste de Produtos
• Testes envolvendo todos os elementos do Mix
• Imagem
• Gerenciamento de categoria
• Potencial de Mercado
• Clínicas

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Inteligência de Mercado e os Sites de Buscas



Já se perguntou como sites de busca fazem para encontrar o que você procura? Como encontram páginas relevantes à sua busca entre as milhões existentes na Internet?

Basicamente, sites como Google, Bing e Yahoo utilizam uma metodologia de busca que analisa vários elementos e palavras-chave existentes nas páginas, começando pelo próprio endereço de domínio e incluindo o próprio texto do corpo da página.

Mas não é apenas isso, também é analisado o histórico de acesso da página. A relação de vezes que uma pagina é acessada após ser listada em uma busca. Um combinação destes fatores torna possível classificar a relevância da página, o que determina a posição que esta é listada em um resultado de busca.

Os fatores de classificação estão muito bem explicados no estudo "2011 Search Engine Ranking Factors" publicado pelo SEOmoz,

http://www.seomoz.org/article/search-ranking-factors

Uma leitura super técnica, mas capas de desvendar os mistérios da busca na Internet!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Dia dos Namorados e o Leão



O Dia dos Namorados já ficou para trás, mas quem comprou um presente, do mais simplório aos mais sofisticados, sentiu a mordida do leão, ou a flexada nas costas.

Uma caixa de chocolates vendida por R$ 7,48, em média, custaria R$ 4,66 sem impostos. Já o cartãozinho usado para escrever a mensagem do presente, encontrado nas papelarias em torno de R$ 3,99, seria vendido sem tributos por R$ 2,49, quase 60% do valor original. A explicação é que estes produtos são considerados não essenciais, de modo que têm alíquotas dos impostos sobre o consumo (ICMS e IPI), bem mais altas que os produtos considerados como básicos.

Os casais mais abonados dispostos a comprar computadores, leitores de blue-ray e dvds, arcaram com alíquotas de até 72,18% do valor do produto. Para os tablets, que já comentei em outro post ser beneficiado, a carga tributária é de 42%. Uma compra de R$ 1.800,00 ficaria em "apenas", R$ 1.044,00, sem os tributos.

Dia do Contribuínte:

Como nem só de relacionamentos vive nossa economia, a Receita Federal publicou em 25 de maio uma Lei criando o Dia Nacional de Respeito ao Contribuínte, com o objetivo de conscientizar e reflexão da sociedade e poderes públicos sobre a importância do respeito ao contribuinte.

Algumas empresas privadas comemoraram a data com o movimento "Preço Justo sem concedendo descontos no valor dos tributos cobrados em produtos muito onerados, como jogos de computador e mesmo combustíveis, ocasionando filas em diversos postos de abastecimento.

O brasileiro terá de trabalhar 149 dias este ano apenas para pagar os tributos cobrados pelos governos federal, estadual e municipal. Isso significa que tudo o que o contribuinte tenho recebido entre 1º de janeiro e o próximo domingo, dia 29, terá servido exclusivamente para quitar impostos.
É o que mostra estudo divulgado ontem pelo IBPT. Intitulado "Os dias trabalhados para pagar tributos - 2011", o estudo considera toda a tributação incidente sobre os rendimentos, como salários e honorários, em que destacam-se o Imposto de Renda e as contribuições previdenciária (INSS) e sindicais

Projeto de lei do Senado amplia o leque de atividades empresariais aptas a participar do Simples Nacional. O projeto inclui mais 13 áreas de atividades na atual legislação. O projeto recebeu parecer favorável da Comissão de Assuntos Econômicos.
As novas áreas são: medicina; medicina veterinária; odontologia; psicologia, psicanálise, terapia ocupacional, fonoaudiologia e clinicas de nutrição; fisioterapia; advocacia; serviços de comissária, de despachantes e de tradução; arquitetura, engenharia, medição, testes, desenho e agronomia; corretagem de seguros; representação comercial; perícia, leilão e avaliação; auditoria e consultoria; e jornalismo e publicidade.

Autor Fernando Camargo

segunda-feira, 13 de junho de 2011

FIQUE DE OLHO - 13/06


Notícias da semana:

1. Transtorno aéreos devido às cinzas do vulcão no Chile já passam de R$ 1 Bilhão e Meio de Reais.

2. Bolsa em alta e Dólar em queda nessa Segunda.

3. China vai superar Japão, até o final do ano, como maior consumidor de produtos luxuosos do mundo.

4. Silvio Santos vende todas as lojas do Baú para Magazine Luiza.

5. Hooters vai investir cerca de 30 Milhões de Reais para abrir 15 lojas até 2014 no Brasil.

6. Só no Dia dos namorados (12/06) movimentaram cerca de R$ 400 milhões de Reais, só na capital paulista.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

CINEMA E MARKETING: Apple ganha o prêmio BRANDCAMEO! Como a marca que mais apareceu no TOP FILMS Americanos

A empresa que mais investiu em 2010 em mensagens publicitárias no cinema foi a Apple. Investiu em cerca de 30% dos filmes mais famosos que estreitaram nos Estados Unidos em 2010. IPADS, IPODS, IBOOK, Computadores entre outros produtos da marca.

Nos 33 filmes que chegaram ao topo dos mais vistos em 2010, temos 591 marcas e produtos aparecendo, uma media de 18 vezes por filme. A Apple é a líder em incersão aparecendo em 9 filmes superando Chevrolet, Ford e Nike. A Apple conquistou o prêmio BRANDCAMEO pode ter aproveitado bem os filmes para expor sua marca.

FILMES que podemos encontrar a APPLE:
1) Diary of a Wimpy Kid: Rodrick Rules
2) Fast Five
3) Hall Pass
4) Hop
5) Just Go With It
6) Limitless
7) Little Fockers
8) No Strings Attached
9) Thor

quinta-feira, 9 de junho de 2011

VIDEO DA SEMANA: Lacres por uma cadeira de rodas? @guarana_oficial



Olá pessoal, tudo bem?

Segue um video de uma campanha do Guaraná Antartica muito interessante que rolou esse ano. Um exemplo bem legal e barata de campanha via internet, integrando as redes sociais como uma via rápida de interação entre o público e a marca!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

O que é BRANDING?



BRANDING ou GESTÃO DE MARCAS a área do MARKETING que cuida do bem mais precioso de uma empresa a sua MARCA, esta área é responsável pela manutenção da confiança na marca, isto implica principalmente no cumprimento das promessas geradas pela empresa. As marcas de sucesso fazem isso com maestria e eficácia, dessa forma reforça cada aspecto direcionado as estratégias e objetivo da empresa.

A construção de uma marca para muitos parece algo simples, mas na verdade implica em algo que deve ser feito com uma frequência obssessiva de uma afirmação de algo simples. Define-se uma marca pode ser três coisas distintas:

1 – Um dado produto ou serviço, como BBC News, Jornal Nacional ou Sal Cisne, Sabão Ype, referindo-se ao próprio artigo em causa.

2 – Um dado produtor como Ultragaz, Iguatemi Campinas, Unimed, Declathon, Wizard. Refere-se ao nome ou simbolo em sentido abstrato.

3 – A convicção de um cliente a respeito de um produto ou serviço, transformando o nome em um substantivo que qualifica ou da nome ao produto em si. Por exemplo: laminas de barbear = Gilete, Esponja de aço = BomBril, ainda com frases: “não é assim um Brastemp”. Qualificando um produto ou um serviço utilizando as qualificações de uma marca.

O que pode ter uma marca? Tudo na verdade. Um produto, serviços, organizações, lugares e pessoas. Uma marca é uma promessa de satisfação, um sinal, uma metafóra que age como um contrato não escrito entre um produtor e um consumidor, um vendedor e um comprador, um ator e um público, um ambiente e os que o habitam, um evento e os que o experimentam.

Dessa forma o branding é o processo de luta continua entre produtores e clientes na definição dessa promessa e significado. Karl Marx escreveu: “as pessoas tomam as suas próprias decisões sobre quem ser, como viver e o que comprar, mas em certas circunstancias, são modeladas pela publicidade e comercialização da marca.

ESPAÇO: JOVENS PROFISSIONAIS

Estudar em uma boa faculdade é o suficiente? Inglês fluente é um diferencial? Que cursos extracurriculares fazer? Experiência em estágio é essencial? Essas e outras questões rodeiam a cabeça dos profissionais que dão os seus primeiros passos no mercado. Porém, o que esses jovens devem ter em mente é que a vontade de aprender e contribuir com garra e idéias novas contam mais do que um currículo recheado na hora de conseguir o primeiro emprego.

Este espaço todas as terças feiras será dedicado aos novos profissionais, com entrevistas e apresentação de alguns jovens que se destacam no mercado, com entrevista, dicas e histórias, um bate bapo gostoso com os jovens que chegam no mercado de trabalho.



terça-feira, 7 de junho de 2011

Empresas ampliam áreas de inteligência de mercado



A área de INTELIGÊNCIA DE MERCADO praticamente inexistente nos organogramas das empresas ganha espaço a cada dia. As novas tecnologias impactaram para grande parte deste crescimento, o grande volume de informações geradas pelas diversas redes sociais e ainda o crescimento do mercado interno. Este crescimento fez com que a contratação de profissionais especializados nesta área cresceu 35%, segundo Valor Econômico.

As equipes de pesquisas captam a informação, enquanto a área de INTELIGÊNCIA DE MERCADO analisa e relaciona com o negócio. No setor de varejo, telecomunicações e bens de consumo entrou em evidência, está área é responsável por analisar o posicionamento dos clientes e captar o conhecimento para validar as ações de mercado e ainda gerar valor e oportunidades. Está área prepara a empresa para entrada de novos consumidores e analisa o real impacto das novas tecnologias, dessa forma conhecendo melhor o mercado consumidor e os diversos tipos de clientes.

A consultora da DM Executivos, Glenda Moreira, afirma que: “..as oportunidades para profissionais da área,normalmente vinculadas á diretoria de marketing, eram pontuais e concentradas em posições operacionais até o ano passado. Desde então, o recrutamento para executivos qualificados começou a crescer, dessa vez mais focado em posições de gestão. As áreas de pesquisa e inteligência são estratégia. Elas fornecem desde tendências de mercado até as ações dos concorrentes e dos consumidores.”.

Adriana Cambiaghi, gerente da Robert Half, diz que: ” a área de inteligência de mercado é uma das mais aquecidas dentro do marketing - e que deve registrar um dos melhores desempenhos em 2011. As empresas estão começando a entender a importância disso para o negócio. Ainda há uma certa resistência a ouvir o que esses departamentos têm a dizer, mas isso tende a se dissipar.”.

A diretora de inteligência de mercado e consumidor da VIVO confirma: "Grande parte do trabalho do profissional de pesquisa e inteligência é mostrar a relevância da área para a empresa. A executiva afirma que, há alguns anos, a atuação nesse mercado se resumia à chamada inteligência competitiva responsável por monitorar as ações dos concorrentes. Hoje, nos pautamos por questões mais estratégicas como marca e relacionamento com os clientes", afirma.

Uma área interessante para os novos profissionais de marketing se especializarem, e ainda buscar rapidamente seu espaço dentro das organizações. Um fato interessante é que a nova geração já está integrada a essas novas tecnologias e sabem muito bem administrá-las. Outro dado relevante é que para esse setor os salários são relativamente melhores, muito pelo fato de faltar profissionais qualificados em INTELIGÊNCIA DE MERCADO.

AUTOR EDUARDO COCO

segunda-feira, 6 de junho de 2011

FIQUE DE OLHO

Fique atento para as notícias da semana!

- Bovespa cai 1,98%, maior queda em quase 4 meses

- BC divulga boletim sobre tarifas bancárias

- Produção de veículos cresce 8,4% em maio

- Rio reserva 20% das vagas de concursos para negros e indígenas

- Após banir térmica a óleo, EPE prevê fim do carvão mineral

- Companhia aérea da Venezuela deve comprar até 30 jatos Embraer

- BNDES aprova financiamento de R$ 2,7 bi para a Eldorado Celulose

Governo define regras para produção de tablets com redução de impostos


O governo brasileiro deu mais um passo em direção à redução de preços dos tablets no país. Foi publicada no Diário Oficial da União a medida que define as regras para a concessão dos incentivos fiscais da Lei de Informática à fabricação dos aparelhos, definindo a quantidade de componentes, partes e peças nacionais que os fabricantes devem utilizar na montagem do equipamento para ter direito à isenção de impostos.

Conforme informações da Agência Brasil, a produção da placa-mãe deve ter 50% de nacionalização. Esse índice deve passar para 95% em 2013, mas, já a partir de 2012, metade dos componentes, partes e peças de carregadores de bateria ou conversores e 20% das partes com função de memória deverão ser produzidos no Brasil.

O país poderá importar telas de cristal líquido até 31 de dezembro de 2013. A partir desse período, o governo espera que a fabricação desses componentes ocorra no Brasil. Por enquanto, baterias e gabinetes estão dispensados de ser produzidos por aqui.

Os critérios e prazos foram estabelecidos pelos ministérios do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e da Ciência e Tecnologia (MCT), após consulta pública, e fazem parte do Processo Produtivo Básico (PPB - Lei 8.387/1991). Produtos que obedecerem a essas normas receberão benefícios como a redução do Imposto de Importação que incide sobre os insumos e a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

A iniciativa vem após a publicação da Medida Provisória nº 534, que incluiu os tablets na lei 11.196 (Lei do Bem), para desonerar de PIS/Cofins os equipamentos fabricados no Brasil. O PBB é uma das contrapartidas exigidas das empresas da Zona Franca de Manaus para a isenção desses impostos para os tablets produzidos por aqui.

AUTOR: FERNANDO CAMARGO
Fonte: Adrenaline Data: 6/6/2011

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Uma palavra sobre a soliedariedade que brota das catástrofes do novo "velho" ano!...

Entre as diversas definições para a palavra solidariedade podemos mencionar algumas tais como o presente no dicionário de Língua Portuguesa:
1. Qualidade de solidário;
2. Responsabilidade recíproca entre elementos de um grupo social, profissional, etc.
3. Sentimento de partilha do sofrimento alheio;
4. Sentimento que leva a prestar auxílio a alguém;
5. Adesão ou apoio a uma causa, a um movimento ou a um princípio. (De solidário+-idade)
Há ainda a definição utilizada pela sociologia que afirma que: “A solidariedade social é a condição do grupo que resulta da comunhão de atitudes e de sentimentos, de modo a constituir o grupo em apreço uma unidade sólida, capaz de resistir às forças exteriores e mesmo de tornar-se ainda mais firme em face de oposição vinda de fora.” Solidariedade também foi e ainda é um movimento sindical e político iniciado na Polônia na década de 1980.
Enfim, no significado do termo podemos encontrar várias definições. No entanto, ainda sim, nenhuma delas pode responder o que é efetivamente ser solidário na sociedade atual, nem mesmo como fazê-lo. Em um sistema tão martirizado pelo capitalismo de mercado, pela competitividade profissional, pela miséria e desigualdade, um mundo onde mais de 70% da população vive abaixo da linha de pobreza absoluta e somente 5% é quem efetivamente redistribui e confisca toda a riqueza produzida. O que é ser solidário? Realmente?
Ser solidário é ser humano por excelência, não é ser assistente social ou mesmo confundir este valor com o assistencialismo de mercado. Ser solidário é amar. Amar o outro pelo simples fato de que é na comunidade, na interação com as outras pessoas que nos descobrimos, que nos identificamos com o nosso próprio “eu”, que percebemos o quanto somos seres limitados e isto é uma realidade independente da classe social a qual pertençamos.
Assim, ser solidário é algo maior do que a cultura, a tradição, as religiões ou mesmo o egocentrismo. Ser solidário é ajudar a se auto-ajudar. Ser verdadeiramente solidário é ser missionário de um bem maior, é ser Dom Quixote, é levar o bem, é ser diferente do que a estrutura social espera e pede objetivamente. Ser solidário é ser Humano! Simplesmente humano! E levar este sentimento ao coração da sociedade com a eterna esperança de que ele brote e se multiplique.