terça-feira, 6 de outubro de 2009

O Grande deus brasileiro do Olímpio, esbraveja e arremessa seus trovões.

Carlos Arthur Nuzman, o grande Deus do Olímpio, considerado por muitos o grande articulador do Pan-Americano e agora dos Jogos Olímpicos 2016, ocupa hoje um cargo vitalício, onde manda e desmanda. E ainda se da o direito de fazer ironia e atacar quem é contrário aos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro. Ao ser indagado como evitariam os mesmos erros do Pan-Americano, que teve um salto de um gasto de 400 milhões iniciais para a bagatela de 5 bilhões, o Deus todo poderoso fugiu da explicação e então usou a artimanha de um bom político, atacou, esbravejou e grossamente sem responder nada terminou a conversa. E dizendo que o Pan foi transparente absoluto?? Meu Deus, transparente igual as águas da lagoa Rodrigo de Freitas.

"Se alguém no Brasil não está satisfeito com isso, ficou triste ou torceu contra, vai ter de chorar por sete anos como testemunha do maior sucesso da vida pública esportiva do País. Vai ter de se amargurar pela eternidade" lançou seus trovoes. E ainda completou "O Pan foi feito numa transparência absoluta", comentou.

O Presidente Nuzman esqueceu que existem pessoas serias e lutando para termos dignidade na política brasileira. O Sr. Todo Poderoso esqueceu do que o relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre os Jogos continentais mostra claramente que houve um gasto absurdo e com indícios claríssimos de super faturamento. Para sair mais uma vez da linha de frente Nuzman se esconde atrás de Deuses maiores dizendo: "O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Roger, a comissão de avaliação da entidade e os eleitores votaram por escrito que o Pan foi a razão maior, junto com os três níveis de governo, da vitória olímpica. Àqueles que não gostaram, um abraço”. Grande resposta para um homem serio e digno. Aonde vamos parar?

Nuzman Retornou da Dinamarca para participar do 8º Congresso Olímpico, e será discutidos entre tantas coisas a entrada de mais dois esportes o rúgbi e do golfe como modalidades olímpicas nos Jogos de 2016. Mas calma gente temos que nos alegrar com a proposta que o dirigente vai fazer! Ele com medo de perder seu cargo vitalício vai então mudar as regras, já que a entidade só permite que Nuzman trabalhe somente até os 70 anos, ele quer então mudar, passando para 80 anos a idade máxima. Impressionante como o homem tem medo de perder o poder. O melhor que os absurdos não param por ai!!! Tóquio avaliada como a possível melhor sede, com o melhor projeto, a melhor avaliação técnica reclamou e se posicionou contraria a vitoria do Brasil. Então os Deus Brasileiros do COI protestaram contra o Governador de Tóquio.

O que devemos fazer? Bom temos grandes jornalistas, administradores, empresários, lideres locais que sabem que seriedade, ética não é um adjetivo que podemos usar para Nuzman e seus amigos, devemos nos posicionar e não tolerar políticos e senhores de engenho que mandam e desmandam no Brasil se beneficiando de cargos vitalícios e dinheiro público, meus amigos leitores, é o nosso dinheiro que esta indo nesses Jogos Olímpicos, você acha que deve ficar quieto torcendo em casa pro Brasil ganhar 2 ou 3 medalhas de ouro.